Camboja – O que significa viver e trabalhar com voluntários missionários leigos?

28 maio 2020

(ANS - Poipet) - A Delegação do Camboja, dependente da Inspetoria da Tailândia, acolhe o maior número de voluntários missionários de toda a Região salesiana do Leste Asiático-Oceânia. Já são centenas os voluntários que já serviram lá desde 1991, gerando um grande benefício para a missão salesiana no País. O P. John Bok Nam é o salesiano responsável pela pequena comunidade de Poipet – ele, um outro salesiano e mais um salesiano cooperador sacerdote – comunidade que, todos os anos, trabalha com muitos voluntários missionários leigos, para levar avante uma Escola primária, um Centro de educação técnica secundária e uma Casa de acolhença. Eis a sua experiência de missão partilhada com os voluntários missionários leigos.

Como tem sido receber voluntários em sua comunidade?

Nos últimos três anos, temos vivido quer momentos positivos, quer momentos também desafiadores. Mas devemos reconhecer que em nossa Delegação há necessidade de voluntários missionários salesianos: eles, junto com professores, educadores e instrutores locais, tornam possível a nossa missão educativa.

Quais as maiores vantagens que advêm do receber voluntários missionários?

A educação salesiana se faz através do empenho de toda a comunidade educativa, e os voluntários contribuem de múltiplas formas para essa comunidade. Através da interação com estrangeiros, nossos alunos podem ver indiretamente horizontes mais amplos do que o seu mundinho habitual. Os voluntários missionários podem também ajudar os nossos professores e educadores cambojanos, proporcionando algumas oportunidades educativas de que eles ainda não dispõem.

E qual seria o grande desafio para quem recebe voluntários missionários?

O principal desafio é a mentalidade, a "disposição do coração" dos voluntários: por vezes alguns deles, ao invés de um empenho pela missão, escolheram uma "fuga" de suas próprias vidas. Nesses casos surgem problemas: é que sem um interesse suficiente pelo bem dos jovens e sem se esforçarem por assimilar uma mentalidade educativo-salesiana, não se podem tornar um modelo de referência para os nossos jovens.

O que VV. aprenderam recebendo voluntários?

Convivendo com voluntários descobrimos como eles se vieram formando através de sua "vida de doação" na missão e como se preparam para uma vida futura cheia de novas oportunidades.

Que impacto exerce a presença de voluntários na vida da sua comunidade?

Graças aos voluntários muitos de nossos jovens, e também professores, têm a oportunidade de pensar seriamente em "servir".

Como a presença de voluntários lhes permite concretizar o sonho de Dom Bosco?

A nossa comunidade educativo-pastoral não é apenas animada por salesianos de Dom Bosco (SDB). Lendo a vida de Dom Bosco se percebe que já nos primeiros tempos do Oratório havia uma grande variedade de... "voluntários" ao redor do nosso Fundador. Esta missão compartilhada não é já uma forma de viver o sonho de Dom Bosco?

Fonte: AustraLasia

InfoANS

ANS - “Agência iNfo Salesiana” - é um periódico plurissemanal telemático, órgão de comunicação da Congregação Salesiana, inscrito no Registro da Imprensa do Tribunal de Roma, n. 153/2007. 

Este sítio utiliza ‘cookies’ também de terceiros, para melhorar a experiência do usuário e para fins estatísticos. Escorrendo esta página ou clicando em qualquer de seus elementos, aceita o uso dos ‘cookies’. Para saber mais ou negar o consentimento, clique na tecla "Mais informações".