Print this page

Sri Lanka – A receita missionária do Sr. Garniga

23 outubro 2017

(ANS – Negombo) – Das montanhas do Trentino que circondam Rovereto, sua cidade natal, àquelas do Himalaia, que compõem o Butão, até às águas do Oceano Índico, que banham Negombo, cidade do Sri Lanka em que por vários anos já serve às crianças mais necessitadas, especialmente as que foram vítimas de abusos e violências – eis o roteiro de viagem, feita em 45 anos de vida missionária pelo Sr. Gabriel Garniga, Salesiano Irmão.

A sua experiência missionária inicia em Turim onde aprendeu um ofício. “Queria ser marceneiro, acabei ficando mecânico”, raconta ele. Terminados os estudos, sentiu crescer em si a vocação religiosa e, já no noviciado, sentiu-se chamado também para as Missões. “Em 1972 fiz o pedido oficial ao Reitor-Mor e tive três dias de tempo para pensar e decidir se partir ou não para o Butão. Parti… E ali fiquei até 1982, quando os Salesianos tiveram de deixar o país. Do Himalaia passei ao Sri Lanka, onde estou faz 35 anos”.

O Sri Lanka é “um país saído recentemente de 30 anos de guerra étnica, guerra que deixou para traz toda uma devastação tanto moral quanto material. As crianças e os adolescentes pagaram, e continuam a pagar, um preço muito alto demais” – explica o Salesiano.

Entre as várias atividades iniciadas pelos Salesianos no país, cita duas:

- “Primeiramente em 1992 em Negombo abrimos um Centro de Reabilitação para Jovens Vítimas de Abusos: iniciou assim a nossa luta contra dois dos dramas do país: a pedofilia e a prostituição (tanto de crianças quanto de meninos pobres e socialmente vulneráveis)”;

- e depois o «Don Bosco College of Technology», que é a primeira escola salesiana do Sri Lanka, com 17 especializações e 750 alunos, proporcionando a possibilidade de organizar um futuro econômico para a vida de tantas crianças e adolescentes em estado de vulnerabilidade e exclusão social”.

Depois de tantos anos de serviço, o Sr. Garniga revela-nos qual seja a sua receita missionária: “Sigo desde sempre o exemplo de Dom Bosco. Aprendi assim: a amar o povo, especialmente os jovens; a confiar na Divina Providência; a trabalhar pelos pobres; e a suportar as canseiras”.

Para ulteriores informações, ver sítio “Missioni Don Bosco”.

Related items

Este sítio utiliza ‘cookies’ também de terceiros, para melhorar a experiência do usuário e para fins estatísticos. Escorrendo esta página ou clicando em qualquer de seus elementos, aceita o uso dos ‘cookies’. Para saber mais ou negar o consentimento, clique na tecla "Mais informações".