Print this page

Espanha – Uma escola digital e inclusiva para os desfavorecidos: "Don Bosco F5"

06 abril 2021

(ANS - Sevilla) - “Don Bosco F5” será uma escola digital, inclusiva e solidária, a primeira da Andaluzia a utilizar o modelo pedagógico “Simplon.co”, e já selecionou os 25 primeiros participantes que serão educados a partir das novas tecnologias deste modelo. O projeto nasceu da colaboração entre a "Fundación Don Bosco" e a "Factoría F5" e será financiado pela empresa de energia "Endesa". Ele faz parte das atividades desenvolvidas pela "Fundación Don Bosco" na região do "Polígono Sur" de Sevilha, considerada uma das mais vulneráveis ​​de Espanha, onde vive um grande número de menores, jovens e famílias em situações de extrema vulnerabilidade, especialmente em termos de emprego.

O projeto escolar “Don Bosco F5” nasceu como resposta à crise gerada pelo Covid-19, ao buscar uma aliança estratégica entre as três realidades protagonistas: a ação educativa e social, a formação tecnológica, o compromisso empresarial, ressaltando que atualmente na Espanha há 12,3 milhões de pessoas em situação de exclusão social (dados do 10º Relatório sobre a população em risco de pobreza ou exclusão - AROPE) e, ao mesmo tempo, existem mais de 56.000 vagas no setor de tecnologia (dados da “Fundación Telefónica”).

"Don Bosco F5", portanto, visa atuar entre os talentos ocultos, especialmente entre mulheres em situação de precariedade, jovens não qualificados, pessoas que se encontram desempregadas há muito tempo, candidatos à proteção internacional, ciganos, jovens excluídos, imigrantes e todos os grupos que partem de uma situação de desvantagem.

Para o desenvolvimento do projeto será utilizada metodologia inovadora, que focaliza a colocação profissional e aposta numa pedagogia ativa e 100% prática, aliando dinâmicas presenciais e on-line, métodos de aprendizagem dedutivos, e uma orientação profissional constante, com a realização de projetos reais para as organizações envolvidas, palestras com profissionais do setor, reuniões e dias de contratação com as empresas e em feiras de emprego.

Um dos aspectos mais interessantes dess projeto inclusivo é a possibilidade de acesso à formação nas habilitações mais procuradas no setor digital, sem a necessidade de conhecimentos prévios sobre o assunto.

Ao mesmo tempo, não se trata de um salto no escuro: a experiência das escolas F5 já ativas indica que 76% dos alunos conseguem emprego já nos meses imediatamente sucessivos à formação, têm acesso a cursos de aperfeiçoamento ou iniciam um projeto empresarial.

No plano técnico, será oferecida formação de 1.000 horas em Design e desenvolvimento front-end de sites e aplicativos (HTML, CSS e JavaScript), Design e desenvolvimento back-end de sites e aplicativos, User experience design e prototipagem e Uso de metodologias ágeis, como Kanban ou Scrum.

Das 150 inscrições recebidas, foram selecionadas as 25 pessoas que, apesar de possuírem circunstâncias pessoais, econômicas e/ou sociais desfavoráveis, também demonstraram possuir as qualidades exigidas: autonomia, lógica, grande motivação, e disponibilidade para o trabalho em equipe.

Este sítio utiliza ‘cookies’ também de terceiros, para melhorar a experiência do usuário e para fins estatísticos. Escorrendo esta página ou clicando em qualquer de seus elementos, aceita o uso dos ‘cookies’. Para saber mais ou negar o consentimento, clique na tecla "Mais informações".