Print this page

Uganda - "Onde há salesianos, a educação é sempre uma prioridade". Campo de refugiados de Palabek

13 setembro 2018

(ANS - Palabek) - Em Uganda, vivem mais de um milhão e meio de refugiados do Burundi, da Somália, do Sudão do Sul e da República Democrática do Congo. Em Palabek, os salesianos decidiram viver entre os refugiados, em sua maioria mulheres e crianças. "São  poucos os homens jovens, alguns se alistaram para a guerra, outros morreram e muitos têm a tarefa de cuidar dos animais e de suas terras ", diz o padre Martín Lasarte, que fez uma visita à região.

Os salesianos chegaram em junho do ano passado no assentamento de refugiados de Palabek, o único dos quase 20 centros similares da Uganda, que continua acolhendo refugiados. Dois meses antes, o centro começou também a acolher os sudaneses do sul, que fugiam da guerra e que conseguiram chegar à fronteira. Em uma área de 400 quilômetros quadrados, o governo de Uganda e as Nações Unidas, através da agência de refugiados (ACNUR), organizavam um campo aberto no qual cada família recebia 30 metros quadrados, material para a construção de uma simples habitação e as ferramentas para cultivar um pequeno jardim naquele lugar.

No início a precariedade da situação obrigou os salesianos a viverem hospedados em cabanas com refugiados, mas pouco a pouco construíram alguns quartos simples para eles, saneamento e acesso à água, pequenas estruturas nas quais os refugiados pudessem se reunir, várias capelas e escolas para crianças do acampamento.

Os salesianos são os únicos que trabalham no campo de refugiados de Palabek e residem permanentemente ali.

Há apenas um mês, os salesianos organizaram a vida comunitária. Há sete salesianos que pertencem à comunidade missionária: dois da R.D. Congo, um do Congo Brazzaville, três da Índia e um da Venezuela. "O trabalho dos salesianos é uma tarefa eminentemente pastoral. Há onze capelas no acampamento, onde se celebra a missa e se oferece treinamento aos jovens e às famílias", conta o padre Lasarte.

Onde há salesianos, a educação é sempre uma prioridade. Nesse acampamento, o compromisso salesiano com a educação e o acompanhamento dos refugiados teve em Dom Bosco seu ponto de referência e, ao mesmo tempo, uma autoridade moral. No total, mais de 700 crianças são acompanhadas em seus estudos e mais de 700 famílias são acolhidas no acampamento.

A Uganda segue uma política aberta e generosa em relação aos refugiados, abrigando quase 1,5 milhões deles. Todos recebem gratuitamente o visto para trabalhar, , educação e serviços de saúde. É um dos países que recebe o maior número de refugiados do mundo.

Este sítio utiliza ‘cookies’ também de terceiros, para melhorar a experiência do usuário e para fins estatísticos. Escorrendo esta página ou clicando em qualquer de seus elementos, aceita o uso dos ‘cookies’. Para saber mais ou negar o consentimento, clique na tecla "Mais informações".