Print this page

Itália – Festa da Família Salesiana do Lácio, entre santidade e generosidade extraordinária

21 janeiro 2019

(ANS – Roma) – A Festa da FS do Lácio, celebrada ontem, domingo, 20 de janeiro, no Teatro Dom Bosco, de Cinecittà, Roma, viu um grande número de participantes redescobrirem, graças ao teatro, a figura do Santo dos Jovens. O mesmo Reitor-Mor, P. Ángel Fernández Artime, participou do evento, chamando a atenção dos presentes acerca da possibilidade da santidade para todos e relatando um gesto de generosidade realmente sem par.

Por Aurelio Marinelli SDB 

Núcleo dessa tarde festiva foi o espetáculo que Laura Curino e Simone Derai apresentaram, racontando como a inteligência e o espírito souberam transformar homens extraordinários em “santos sociais”, no Piemonte do Oitocentos.

Presente à festa como se disse o P. Ángel Fernández Artime, Reitor-Mor dos Salesianos, que na mensagem da boa-noite agradeceu à Companhia teatral por haver mostrado a realidade do carisma salesiano nascido na Casa Pinardi: “Os vestígios da santidade piemontesa – disse o P. Á. F. Artime – achou em Valdocco um terreno fértil, em que floresceram grandes figuras de santidade, direta ou indiretamente ligadas à nossa Família”.

Contou a seguir o Reitor-Mor como, alguns dias depois do Natal, lhe chegaram da Uganda, saudações natalinas, enviadas por um coirmão da Sede Central Salesiana, ali em visita a duas presenças da Congregação entre os jovens mais pobres. Uma delas situa-se em Palabek, campo de refugiados, em que estão presentes perto de... 42.000 refugiados. 

“Há um ano, no dia da festa de Dom Bosco – prosseguiu o Reitor-Mor – abrimos ali uma presença com uma pequena comunidade: uma presença sem casa, sem igreja, no meio do campo de refugiados, com gente sem nada. Recebi, pois, desse coirmão dois envelopes com algumas ofertas para que as usasse em favor de jovens necessitados... Fiquei muito mais que emocionado: eles, os mais pobres dentre os pobres, a reservar umas tantas moedinhas para gente também necessitada como eles! Quis referir-lhes isto, porque é mesmo a história que hoje, através dessa representação, os artistas nos recontaram a todos nós: um sinal com que Dom Bosco nos quer recordar que o coração humano é a realidade mais preciosa e generosa que possa existir sobre a face da Terra”.

O P. Ángel dirigiu em seguida mais algumas palavras de despedida, dizendo que no dia seguinte pela manhã partiria para o Panamá, a fim de participar da JMJ e dos grandes eventos programados para a Festa de Dom Bosco.

Este sítio utiliza ‘cookies’ também de terceiros, para melhorar a experiência do usuário e para fins estatísticos. Escorrendo esta página ou clicando em qualquer de seus elementos, aceita o uso dos ‘cookies’. Para saber mais ou negar o consentimento, clique na tecla "Mais informações".