Print this page

Vaticano – Avança a Causa do Servo de Deus Ignazio Stuchlý

07 novembro 2019

(ANS – Cidade do Vaticano) – No dia 5 de novembro de 2019, no decurso do Congresso peculiar dos Consultores Teólogos na Congregação das Causas dos Santos, deu-se por unanimidade parecer positivo à fama de santidade e ao exercício das virtudes heroicas do Servo de Deus (SdeD) Inácio Stuchlý, Sacerdote Professo da Sociedade de São Francisco de Sales (1869-1953).

O SdeD P. Inácio Stuchlý viveu numa época marcada por dramáticas profundas mudanças histórico-sociopolíticas. Mas soube adaptar-se aos sempre novos contextos e, na obediência à Igreja e a serviço dos jovens, assumiu com frequência encargos de governo. Como quando, por exemplo:

– ainda jovem salesiano foi enviado à Gorícia, onde colaborou com o Arcebispo e outros salesianos no acompanhando de um autêntico florescimento vocacional no ‘Internato São Luís’;

– se transferiu a Liubliana, na Eslovênia, e contribuiu no encaminhamento da obra salesiana local e ao completamento do Santuário de Maria Auxiliadora, em Rakovnik;

– chamado à Itália, em plenos anos ‘20s, selecionou os candidatos à vida religiosa salesiana para a Chéquia ou Tchéquia (hoje Rep. Tcheca), realizando um firme e prudente discernimento;

– transplantou a Obra na Boêmia e Morávia, em resposta às necessidades concretas da Igreja Local.

Como fundador da nascente presença salesiana nessas terras, depois como Superior quer da Inspetoria Tchecoslovaca (1935), quer ainda da só Inspetoria Tcheca, o P. Stuchlý acompanhou além disso – entre 1925 e 1948, somente para a Boêmia e Morávia – pelo menos 200 novas vocações salesianas; foi fundador de casas; capitaneou a obra através dos mares da II Guerra Mundial…

Nos Irmãos tchecos, o SdeD conseguiu transfundir não só as “estruturas” mas o vivo espírito da tradição salesiana que havia bebido no Piemonte, no pleno gozo além disso de uma especial familiaridade com o Bv. P. Miguel Rua e outros santos salesianos.

Com o advento aplastante do nazismo e depois do comunismo, e até aos seus últimos anos de vida, passados na reclusão de uma Casa para idosos – na qual era espiado e controlado – o P. Stuchlý continuou a atestar sua fidelidade integral à Igreja e à Congregação, testemunhando que nenhuma situação de sofrimento e injustiça pode afastar da plenitude de doação a Cristo.

Este sítio utiliza ‘cookies’ também de terceiros, para melhorar a experiência do usuário e para fins estatísticos. Escorrendo esta página ou clicando em qualquer de seus elementos, aceita o uso dos ‘cookies’. Para saber mais ou negar o consentimento, clique na tecla "Mais informações".