EDITORIAL

ESCUTAR COM O CORAÇÃO

O olhar atento da mãe sobre a vida do bebê faz com que ela responda, imediatamente, com um toque suave ou carícia, ao menor choro ou movimento de sua flor. Este talvez seja um bom exemplo do que signifique escutar, ouvir, com o coração. A mãe sente, pressente, o de que o seu bebê está a precisar.

‘Escutar com o coração’ é a atitude de uma pessoa nobre, amorosa, compassiva. Se olharmos em nosso derredor, poderemos notar que há, todos dias, milhões de pessoas que sofrem em silêncio. Todas anseiam por ser ouvidas. Mas o caos, a confusão, o ruído, acabaram por causar muita surdez interior. E também nós – em detrimento da capacidade de empatizar, sentir, escutar, ouvir – acabamos por somente ouvir alguns sons...

O apelo para escutar com o ouvido do coração nos vem do Papa Francisco, para o 56º Dia Mundial das Comunicações, celebrado, habitualmente, no Domingo da Ascensão (a 28 de maio neste 2022). Mas, retomando o nosso verbo, será que realmente escutamos? E como escutar, ouvir, com o coração?

Em criança, ficávamos até horas a vasculhar o céu escuro para surpreender as estrelas cadentes. É que todos nos garantiam: "Quando você vir uma estrela cadente, exprima um desejo!". Mas é sempre muito triste ver uma estrela desprender-se do céu e cair… E para onde vão essas estrelas… cadentes?

Uma das experiências mais belas que temos como educadores é quando um jovem se aproxima de nós durante o dia e nos pede um minuto de tempo, porque tem algo importante para nos dizer: "Padre, estou apaixonado, sou a pessoa mais feliz do mundo. Eu queria realmente lhe contar isto, porque o senhor é uma pessoa muito importante para mim". O rosto tem um brilho estranho, as palavras se sobrepõem, há agitação, depois o silêncio: ele espera pela nossa resposta. Às vezes só espera que lhe digamos que estamos felizes por isso, que compartilhamos da sua alegria. Esperam por... ‘uma’ palavra de encorajamento... Sente-se a magia do momento.

O que mais serve para um adolescente é ser 'ouvido'.

Pelo geral ouve-se dizer que os jovens são apaixonados, destemidos, idealistas, imprudentes. É verdade. Os jovens são assim. Às vezes isso pode ser uma vantagem; e também um perigo. Vejamos: num frio dezembro de 1859, no silêncio das periferias de Turim, numa saleta modesta, 19 jovens ouviram atentos as palavras de um sacerdote. Era um padre sonhador e fizeram um pacto: prometeram entregar-se inteiramente a Deus e ajudar os jovens pelo resto de suas vidas. E mais: ser como Dom Bosco, aquele padre que os amava acima de tudo.

InfoANS

ANS - “Agência iNfo Salesiana” - é um periódico plurissemanal telemático, órgão de comunicação da Congregação Salesiana, inscrito no Registro da Imprensa do Tribunal de Roma, n. 153/2007. 

Este sítio utiliza ‘cookies’ também de terceiros, para melhorar a experiência do usuário e para fins estatísticos. Escorrendo esta página ou clicando em qualquer de seus elementos, aceita o uso dos ‘cookies’. Para saber mais ou negar o consentimento, clique na tecla "Mais informações".